As mulheres são minoria no mercado de investimento. Como mudar esse jogo?


A ideia de que a mulher deve apenas cuidar da casa e dos filhos, ficando de fora das questões financeiras da casa é algo que já foi superado há muito tempo, entretanto, as mulheres no mercado de investimento ainda hoje, são minoria, sendo essa uma área dominada pelos homens.

Entretanto, esse cenário vem mudando ao longo do tempo e a presença de mulheres no mercado de investimento vem se tornando mais expressiva.

Nesta semana, aqui no blog Renda Fixa, vamos comemorar o Dia Internacional da Mulher trazendo uma série de artigos voltados para o público feminino e para começar, vamos falar sobre os motivos da pouca presença das mulheres no mercado de investimento e sobre o que pode ser feito para que essa situação mude.

Para saber mais sobre o assunto, continue lendo os tópicos a seguir.

Por que as mulheres ainda são minoria no mercado de investimento?

As mulheres são cada vez mais atuantes no mercado de trabalho e se tornam cada vez mais abertas a temas relacionados ao mercado financeiro, demonstrando um potencial que por muito tempo ficou escondido em virtude da forma como a sociedade se estruturava.

Mesmo assim as mulheres no mercado de investimento ainda são minoria, ainda que hoje em dia a busca por independência pessoal e financeira do público feminino aumente a cada dia.

Isso pode ser motivado por inúmeros fatores, entre eles, a falta de cultura de investimento no Brasil. Um país onde a educação financeira é bastante falha.

No país, a maioria das pessoas sabe pouco ou até mesmo nada sobre finanças e investimentos e essa situação afasta as mulheres no mercado de investimento.

Por desconhecerem o tema, muitas mulheres, mesmo que interessadas no assunto, acabam não conseguindo confiar na sua capacidade de investir.

Além disso, mesmo com todo o avanço na sociedade, ainda hoje, as mulheres sofrem com preconceito no mercado financeiro, sendo vistas com desconfiança pelos agentes desse segmento.

Mesmo que as mulheres venham se posicionando mais e melhor, o preconceito ainda é marcante e é necessário que elas provem suas competências e percorram um caminho mais demorado para alcançar o sucesso.

É comum ouvir dizer coisas como “as mulheres só compram por impulso”, “mulheres não são boas em matemática”, “mulheres não entendem nada de economia”. E esse é um estigma que as mulheres no mercado de investimento precisam enfrentar todos os dias.

Mesmo que a realidade seja outra e estudos apontem que as mulheres podem se sair tão bem e mesmo serem até melhores no mercado de investimento do que os homens, ainda hoje existe a crença de que elas não são capazes de gerir o patrimônio e investir.

As mulheres tendem a viver mais e em algum momento da vida vão precisar gerenciar o patrimônio da família, mas o mercado financeiro ainda é um ambiente muito masculino.

Mulheres no mercado de investimento ainda são minoria, seja como investidoras, seja atuando nesse mercado de forma profissional, na gerência de empresas especializadas.

Atualmente, segundo um levantamento da Morningstar, apenas 7% dos gestores são mulheres.

Como investidoras, apenas 25,5% dos que investem no Tesouro Direto são mulheres. Na Bolsa de Valores, o percentual é ainda menor: apenas 22,8%.

Por que as mulheres acham que não sabem investir?

Segundo estudos na área, uma vez que possuem menos segurança em relação a investimentos, o público feminino tende a se sair melhor nessa área do que o masculino.

Em uma pesquisa do Terrance Odean e Brad Barber acerca do comportamento dos investidores, na qual participaram 37 mil famílias, os resultados apontaram que a cada 100 reais em ganhos potenciais, os homens perderem média 2,65 reais por girarem demais.

Enquanto isso, as perdas médias das mulheres no mercado de investimento são menores, ficando em torno de 1,72 reais.

Neste caso, o giro em excesso (que é a quantidade de vezes em que o investidor troca o ativo), que é motivado pelo excesso de confiança é um problema que afeta mais ao público masculino.

Ainda assim, é comum que as mulheres acreditem que não sabem investir, o que pode ser explicado pelo fato de que existe um sentimento de incapacidade financeira por parte das mulheres.

Esse sentimento foi construído ao longo da história da humanidade, há cerca de 10 mil anos, quando teve início a compreensão da propriedade privada, que trouxe consigo a visão de que a mulher seria uma propriedade do homem.

Anteriormente a isso, há aproximadamente 30 mil anos atrás, as mulheres eram as responsáveis por cerca de 70% da subsistência do grupo familiar.

Enquanto as mulheres tomavam conta das colheitas, os homens eram responsáveis pela caça.

Na época, a estrutura social e política se baseava em um princípio feminino, algo que mudou muito com o passar do tempo.

A partir da objetificação feminina e da noção da mulher como propriedade do homem, as mulheres acabaram sendo impedidas, durante séculos, de adquirirem capacidades técnicas.

Com isso, houve um processo de internalização da opressão feminina, o que inclui crenças equivocadas acerca das capacidades das mulheres, incluindo a crença de que elas não são aptas a lidar com as finanças.

O resultado disso é que a criação de meninos e meninas ocorre de formas diferentes. Enquanto elas são criadas para obedecerem às regras, eles são incentivados a questioná-las e a quebrá-las.

Isso faz com que os meninos, quando cometem erros, sejam justificados, enquanto as meninas são vistas como incapazes.

Para as mulheres, é como se a incapacidade fosse algo permanente, enquanto que para os homens, erros nunca são vistos como algo pelo que devem se responsabilizar.

Para que mulheres no mercado de investimento possam ter uma presença mais marcante, assim como em outros aspectos da sociedade, é necessário que haja uma ruptura da crença de que as mulheres são essencialmente incapazes.

Por que mais mulheres deveriam investir?

O aumento da participação das mulheres no mercado de investimento é importante por diversos fatores.

Além do fato de terem uma expectativa de vida maior e possuírem tanta capacidade (ou até mais) de atuar no mercado de investimento quanto os homens, existem outras razões para que mais mulheres sejam incentivadas a participar dele.

Veja a seguir algumas das razões para aumentar a participação de mulheres no mercado de investimento:

  • Pesquisas na área indicam que assessores financeiros tendem a oferecer produtos mais conservadores e menos sofisticados para o público feminino;
  • As mulheres, em média, costumam ganhar cerca de 58% a menos do que homens para realizar a mesma jornada de trabalho e executar o mesmo tipo de serviço, segundo os dados do Relatório Global Gender Gap, do Fórum Econômico Mundial;
  • A taxa de desemprego média entre o público feminino é mais elevada do que entre o público masculino, de acordo com os dados do OCDE e do IBGE.

Para as mulheres no mercado de investimento que pretendem ingressar nesse caminho, algumas dicas são relevantes, tais como:

  • Para aplicar o dinheiro da melhor maneira possível, o ideal é que o primeiro passo seja o de montar uma reserva financeira de emergência investindo em um produto altamente conservador;
  • Depois disso, é hora de pensar no futuro, e planejar a aposentadoria, lançando mão de um investimento mais balanceado;
  • Por fim, uma parte menor do capital disponível deve ser utilizado para financiar os projetos de longo prazo e pode ser aplicado em alternativas de investimento mais arrojadas, como no caso de aplicações em renda variável.
  • Neste caso, as mulheres no mercado de investimento podem apostar em um gestor com um perfil mais agressivo, já que apenas uma pequena parte do capital estará em jogo e recuperar as possíveis perdas não será algo tão difícil.

Algumas características femininas podem acabar sendo um diferencial para que a entrada das mulheres no mercado de investimento que desejam poupar dinheiro e investir de forma estratégica e consciente.

Para isso, é necessário trabalhar algumas características essenciais que podem ajudar a ter mais sucesso nessa empreitada, tais como a cautela, a disciplina, a paciência e a determinação.

Todas essas características, de forma geral, são bastante fortes nas mulheres e podem alavancar as chances de sucesso delas na sua atuação no mercado de investimentos.

Tais particularidades aliadas a estudo, organização e vontade de alcançar a independência e o sucesso financeiros, além de aumentar a possibilidade de alcançar os objetivos e realizar sonhos, podem ajudar bastante as mulheres no mercado de investimento a se saírem bem.

É necessário, contudo, que as mulheres não duvidem de suas capacidades e estejam dispostas a investir com mais confiança.

Agora você já sabe porque as mulheres no mercado de investimento ainda possuem uma presença menos expressiva que a do público masculino e o que pode ser feito para que esse jogo possa mudar.

Se você gostou desse artigo e quer ver mais conteúdo como esse, continue acompanhando a nossa série de artigos especial em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.

Aqui no Renda Fixa você também encontra dicas de como organizar as suas finanças e como escolher as melhores alternativas de investimentos. Fique ligado!

Deixe o seu comentário abaixo.

Artigos que podem ser úteis para você: Siga esses primeiros passos antes de investir| Como investir no Brasil morando no exterior

Por que as mulheres acham que não sabem investir?

Segundo estudos na área, uma vez que possuem menos segurança em relação a investimentos, o público feminino tende a se sair melhor nessa área do que o masculino.

Em uma pesquisa do Terrance Odean e Brad Barber acerca do comportamento dos investidores, na qual participaram 37 mil famílias, os resultados apontaram que a cada 100 reais em ganhos potenciais, os homens perderem média 2,65 reais por girarem demais.

Enquanto isso, as perdas médias das mulheres no mercado de investimento são menores, ficando em torno de 1,72 reais.

Neste caso, o giro em excesso (que é a quantidade de vezes em que o investidor troca o ativo), que é motivado pelo excesso de confiança é um problema que afeta mais ao público masculino.

Ainda assim, é comum que as mulheres acreditem que não sabem investir, o que pode ser explicado pelo fato de que existe um sentimento de incapacidade financeira por parte das mulheres.

Esse sentimento foi construído ao longo da história da humanidade, há cerca de 10 mil anos, quando teve início a compreensão da propriedade privada, que trouxe consigo a visão de que a mulher seria uma propriedade do homem.

Anteriormente a isso, há aproximadamente 30 mil anos atrás, as mulheres eram as responsáveis por cerca de 70% da subsistência do grupo familiar.

Enquanto as mulheres tomavam conta das colheitas, os homens eram responsáveis pela caça.

Na época, a estrutura social e política se baseava em um princípio feminino, algo que mudou muito com o passar do tempo.

A partir da objetificação feminina e da noção da mulher como propriedade do homem, as mulheres acabaram sendo impedidas, durante séculos, de adquirirem capacidades técnicas.

Com isso, houve um processo de internalização da opressão feminina, o que inclui crenças equivocadas acerca das capacidades das mulheres, incluindo a crença de que elas não são aptas a lidar com as finanças.

O resultado disso é que a criação de meninos e meninas ocorre de formas diferentes. Enquanto elas são criadas para obedecerem às regras, eles são incentivados a questioná-las e a quebrá-las.

Isso faz com que os meninos, quando cometem erros, sejam justificados, enquanto as meninas são vistas como incapazes.

Para as mulheres, é como se a incapacidade fosse algo permanente, enquanto que para os homens, erros nunca são vistos como algo pelo que devem se responsabilizar.

Para que mulheres no mercado de investimento possam ter uma presença mais marcante, assim como em outros aspectos da sociedade, é necessário que haja uma ruptura da crença de que as mulheres são essencialmente incapazes.

Por que mais mulheres deveriam investir?

O aumento da participação das mulheres no mercado de investimento é importante por diversos fatores.

Além do fato de terem uma expectativa de vida maior e possuírem tanta capacidade (ou até mais) de atuar no mercado de investimento quanto os homens, existem outras razões para que mais mulheres sejam incentivadas a participar dele.

Veja a seguir algumas das razões para aumentar a participação de mulheres no mercado de investimento:

  • Pesquisas na área indicam que assessores financeiros tendem a oferecer produtos mais conservadores e menos sofisticados para o público feminino;
  • As mulheres, em média, costumam ganhar cerca de 58% a menos do que homens para realizar a mesma jornada de trabalho e executar o mesmo tipo de serviço, segundo os dados do Relatório Global Gender Gap, do Fórum Econômico Mundial;
  • A taxa de desemprego média entre o público feminino é mais elevada do que entre o público masculino, de acordo com os dados do OCDE e do IBGE.

Para as mulheres no mercado de investimento que pretendem ingressar nesse caminho, algumas dicas são relevantes, tais como:

  • Para aplicar o dinheiro da melhor maneira possível, o ideal é que o primeiro passo seja o de montar uma reserva financeira de emergência investindo em um produto altamente conservador;
  • Depois disso, é hora de pensar no futuro, e planejar a aposentadoria, lançando mão de um investimento mais balanceado;
  • Por fim, uma parte menor do capital disponível deve ser utilizado para financiar os projetos de longo prazo e pode ser aplicado em alternativas de investimento mais arrojadas, como no caso de aplicações em renda variável.
  • Neste caso, as mulheres no mercado de investimento podem apostar em um gestor com um perfil mais agressivo, já que apenas uma pequena parte do capital estará em jogo e recuperar as possíveis perdas não será algo tão difícil.

Algumas características femininas podem acabar sendo um diferencial para que a entrada das mulheres no mercado de investimento que desejam poupar dinheiro e investir de forma estratégica e consciente.

Para isso, é necessário trabalhar algumas características essenciais que podem ajudar a ter mais sucesso nessa empreitada, tais como a cautela, a disciplina, a paciência e a determinação.

Todas essas características, de forma geral, são bastante fortes nas mulheres e podem alavancar as chances de sucesso delas na sua atuação no mercado de investimentos.

Tais particularidades aliadas a estudo, organização e vontade de alcançar a independência e o sucesso financeiros, além de aumentar a possibilidade de alcançar os objetivos e realizar sonhos, podem ajudar bastante as mulheres no mercado de investimento a se saírem bem.

É necessário, contudo, que as mulheres não duvidem de suas capacidades e estejam dispostas a investir com mais confiança.

Agora você já sabe porque as mulheres no mercado de investimento ainda possuem uma presença menos expressiva que a do público masculino e o que pode ser feito para que esse jogo possa mudar.

Se você gostou desse artigo e quer ver mais conteúdo como esse, continue acompanhando a nossa série de artigos especial em comemoração ao Dia Internacional da Mulher.

Aqui no Renda Fixa você também encontra dicas de como organizar as suas finanças e como escolher as melhores alternativas de investimentos. Fique ligado!

Deixe o seu comentário abaixo.

Artigos que podem ser úteis para você: Siga esses primeiros passos antes de investir| Como investir no Brasil morando no exterior

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2019-03-18T14:20:50+00:00 março 14th, 2019|Investimentos, Mais|0 Comments

Leave A Comment