CDB: Tudo o que você precisa saber!

Já faz algum tempo que os brasileiros começaram a se interessar por investimentos. Apesar de ainda não haver uma cultura de educação financeira no país, muitos investimentos acabaram caindo no gosto dos poupadores brasileiros. Entre estes investimentos está o CDB.

O CDB é uma das aplicações financeiras mais procuradas por investidores brasileiros, mas muita gente ainda não sabe o que é e nem como funciona este investimento. Por isso, no post de hoje, você vai encontrar tudo o que precisa saber sobre esta aplicação financeira. Vamos lá?

O que é o CDB?

O Certificado de Depósito Bancário – CDB é um título de renda fixa emitido pelas instituições financeiras brasileiras, que garante ao portador a devolução do valor pago pelo título – como uma espécie de empréstimo ao banco – acrescido de juros ao final de determinado período. Desta forma, no vencimento do título, o investidor recebe o valor investido na aplicação e os rendimentos do período.

É como se você emprestasse parte do seu capital ao banco – em uma situação inversa do que costuma ocorrer, e a instituição financeira lhe devolve este “empréstimo” mais juros. O dinheiro captado pelo banco através dos CDBs são utilizados para viabilizar empréstimos aos clientes do banco, das mais diversas maneiras.

Como o CDB funciona?

Os CDBs costumam ser oferecidos pelos bancos diretamente aos correntistas. Por conta desta comodidade e facilidade que o cliente tem de aplicar em CDB diretamente pelo Internet Banking e receber seus rendimentos em conta, esta modalidade acaba sendo bastante popular entre os investidores – principalmente entre os pequenos poupadores.

Você não precisa, necessariamente, comprar um CDB no banco onde possui conta – apesar desta ser uma opção bastante escolhida pelos investidores. É possível pesquisar as instituições financeiras que oferecem os melhores rendimentos e taxas e escolher aquela que valer mais a pena para o investidor.

A definição dos rendimentos de um Certificado de Depósito Bancário é definida no ato da contratação do título, e varia de acordo com o prazo de vencimento do CDB, com o valor total aplicado e com o tipo do título – se prefixado ou pós-fixado. Cada banco emissor, no entanto, tem a liberdade de oferecer os rendimentos que julgar conveniente aos clientes nesta modalidade de investimento.

Tipos de CDB

A rentabilidade dos CDBs varia de acordo com o tipo de certificado escolhido e, por isso, é importante se atentar na hora escolha. Conheça os tipos de CDBs disponíveis para o investidor:

CDB Pós-Fixado

– Atrelado ao CDI:

O Certificado de Depósito Bancário pós-fixado e atrelado ao CDI é o tipo mais comum entre os investidores. Neste caso, o investidor recebe um percentual da variação do CDI no período do título.

Imagine que você encontre um CDB que ofereça aos investidores 100% do CDI por ano. Se o CDI no período for de 10%, por exemplo, a rentabilidade bruta do seu investimento será de 10% no ano. Caso você tenha investido R$ 1.000 nesta situação hipotética, você teria R$ 1.100 ao final de um ano.

– Indexado à inflação:

Os CDBs indexados à inflação são vinculados a um determinado índice – com o IPCA, por exemplo, e o rendimento é composto pela variação do índice acrescido de juros prefixados. Neste caso, o investimento acaba tendo um ganho real no período ao mesmo tempo que recebe a correção pela inflação neste mesmo espaço de tempo.

CDB Prefixado

Os Certificados prefixados são aqueles nos quais a taxa de juros incidente sobre o título é definida no momento da aplicação. Isso quer dizer que o investidor saberá exatamente o valor que terá direito a resgatar no vencimento do título.

Imagine que um banco lhe oferece um CDB com rendimento de 9% ao ano. Neste caso, se você resgatar o título após um ano, resgatará o valor de R$ 1.090,00 – sem descontar os impostos.

Características do CDB

Como qualquer investimento, os CDBs possuem riscos, custos e outras características específicas. Conheça cada uma delas:

Custos

Ao contrário de investimentos como o Tesouro Direto e os Fundos DI, não há taxas para aplicação no CDB. Neste tipo de investimento, no entanto, há incidência de Imposto de Renda e de Imposto sobre Operações Financeiras (IOF) – este último, somente para aplicações inferiores a 30 dias.

Já o Imposto de Renda deve ser recolhido em qualquer circunstância, tendo sua alíquota variação de acordo com o prazo da aplicação. Para investimentos com vencimento de até 180 dias, aplica-se uma alíquota de 22,5% de IR; para investimentos entre 181 e 360 dias, o IR é de 20%.  Investimentos em CDB para 361 a 720 dias incidem 17,5% de impostos e, para prazos superiores a 721 dias, há cobrança de 15% de Imposto de Renda.

Riscos

Assim como em qualquer investimento, existem certos riscos a serem considerados nos CDBs. O principal deles seria uma possível falência da instituição bancária emissora do certificado. Neste caso, no entanto, o investidor estará garantido pelo FGC (Fundo Garantidor de Crédito) até o valor máximo de R$ 250 mil. Se você possuir aplicações em CDB até este valor limite, você estará coberto em caso de quebra do banco.

Liquidez

A liquidez dos CDBs pode variar e, por isso, os investidores devem ficar sempre atentos. Alguns certificados oferecem liquidez diária, permitindo que o poupador faça resgates em apenas um dia útil, enquanto outros títulos têm prazo maior para resgate.

Por isso, é sempre importante que o investidor se atente à questão da liquidez na hora de contratar um CDB – evitando, assim, possíveis perdas da sua rentabilidade em caso de resgate antecipado.

Vale a pena investir?

O Certificado de Depósito Bancário (CDB) é um investimento simples, acessível e que pode ser uma boa opção para poupadores que têm interesse em realizar aplicações no curto ou médio prazo. Pode valer a pena investir no CDB para criar reservas de emergência ou até mesmo para poupar dinheiro com o intuito de usá-lo em um futuro breve – para viagens ou compra de algum bem, por exemplo.

O ideal, no entanto, é respeitar o limite de R$ 250 mil garantido pelo FGC por CPF. Desta forma, o investidor terá a certeza de ter seu investimento seguro caso ocorra alguma eventualidade com a instituição financeira.

Além disso, procure sempre pesquisar as melhores opções de CDB para você. Em épocas de juros em queda, pode ser uma boa opção escolher os títulos prefixados; já em momentos de juros mais altos e tendência de alta, os títulos pós-fixados podem valer mais a pena para o investidor.

Para quem deseja construir patrimônio e ter melhores rendimentos com investimentos longo prazo, no entanto, existem outras opções mais atrativas que o CDB no mercado. Tudo depende do seu perfil e do seu objetivo na hora de investir.

E você, já investiu em CDBs? Compartilhe conosco sua experiência com este investimento!


Equipe App Renda Fixa
contato@rendafixa.rocks

Não perca nenhum conteúdo!

2017-09-11T14:52:47+00:00

About the Author:

André Bona
O Blog de Valor é um site de educação financeira independente cuja finalidade é auxiliar pessoas e famílias a melhor compreender, por meio de conteúdos educacionais, o mercado financeiro e os seus produtos.

Leave A Comment