Seu primeiro investimento em Renda Fixa: CDB

Para muitos, investimento é algo muito complexo e arriscado, e por conta disso acabam permanecendo presos na caderneta de poupança. Sim, existem investimentos complexos e também arriscados, mas por outro lado existem diversos investimentos que são simples e de baixíssimo risco e muito melhores que a poupança.

É muito comum associar a palavra investimento com bolsa de valores e suas oscilações (renda variável). Posso garantir que isso é apenas uma pequena parte desse mundo. Existe ainda outra modalidade, desconhecida pela maioria dos brasileiros, a renda fixa, muito segura e com bons retornos. Nesse texto vou te ajudar, investidor iniciante, a entender melhor o mundo dos investimentos e começar a aplicar sem medo. Em especial vou falar mais sobre o CDB com liquidez diária que é o grande oponente da poupança.

Renda Fixa

Primeiro vou explicar a definição de renda fixa e dar um exemplo, você vai perceber que ela faz parte do seu cotidiano há muito tempo e você só não tinha conhecimento.

Renda fixa é um termo que se refere a qualquer tipo de investimento que possui regras de remuneração e prazo definidas no momento da aplicação, ou seja, como e quando o investidor vai ser pago. Então o investidor sabe antecipadamente qual a taxa e data de resgate de seu investimento.

Por exemplo, a caderneta de poupança, popularmente conhecido como poupança, é um investimento de renda fixa. Ela possui uma regra de remuneração, hoje em 70% da Taxa Selic, é paga mensalmente e o investidor pode solicitar seu resgate quando achar que deve.

Agora, existem outros investimentos que também possuem essas características e são muito mais vantajosos como o CDB com liquidez diária. Existem inúmeros outros, mas como introdução, irei explorar apenas esse, que é bem tradicional.

CDB

O CDB (Certificado de Depósito Bancário) é um título nominativo emitido por bancos e caixas econômicas como forma de captação de recursos para financiar suas atividades. Em outras palavras, é como se o investidor estivesse emprestando dinheiro para o banco e recebendo uma taxa como remuneração desse empréstimo.

Vou explicar melhor o que é um título. Título é um documento que garante o direito do portador de receber o pagamento do montante emprestado acrescido de juros, ou seja, quando você compra um título você está emprestando dinheiro para um banco, empresa ou estado, e esses têm a obrigação de honrar o que está especificado no título, prazo e remuneração.

Os CDBs podem ser do tipo pré ou pós-fixados. Entre os pós, a remuneração pode ser em % do CDI ou ter uma parte pré-fixada e outra que varia através de um índice, como por exemplo, o IPCA.

O CDB mais comum, e é o qual irei tratar com vocês, é o pós-fixado indexado pela Taxa DI (CDI), com liquidez diária. Em poucas palavras a Taxa DI é a taxa que remunera os empréstimos interbancários, de banco para banco. Essa taxa acompanha os movimentos da Taxa Selic, que é, e a taxa base da economia. Liquidez diária significa que o investidor pode resgatar o título a qualquer momento, respeitando o horário comercial do banco.

Mais uma vez, ao comprar um CDB o investidor está emprestando dinheiro a um banco, e com isso irá receber de volta o montante emprestado acrescido de juros. Uma dúvida que você possa vir a ter é “por que o CDB remunera mais que a poupança?”

Bom, a caderneta de poupança foi criada para ajudar a desenvolver o setor imobiliário brasileiro, então os bancos só podem emprestar os recursos da poupança para esse fim. No caso do CDB, o banco tem uma liberdade muito maior de escolha, por isso a remuneração é melhor.

Algo que com certeza você vai se deparar é na diferença da taxa dos grandes bancos frente aos bancos de investimento. Isso ocorre basicamente porque os grandes bancos já possuem uma cartela grande de clientes e assim sentem-se a vontade ao oferecer taxas piores acreditando que, por comodidade, seus clientes irão investir no próprio banco.

Em contrapartida, os bancos de investimento oferecem taxas mais atrativas com objetivo de atrair novos clientes. Então, na hora de comprar um CDB, dê preferência a um banco de investimento.

Para fechar esse tópico é importante destacar que o CDB possui a mesma garantia que a caderneta de poupança, ou seja, possui cobertura do FGC.

FGC

Mas o que é FGC? Criado em 1995 através das Resoluções 2.197 e 2.221 do Conselho Monetário Nacional (CMN), o Fundo Garantidor de Créditos, mais conhecido como FGC, é uma entidade privada sem fins lucrativos, que funciona como um instrumento de proteção aos participantes do Sistema Financeiro Nacional.

O principal objetivo do fundo é melhorar a confiança do sistema financeiro nacional. Antes de sua criação, quando algum banco decretava falência a população entrava em pânico e isso afetava o sistema inteiro. Diferente de outros setores da economia, o financeiro necessita de grande confiança. Para isso, o FGC garante o capital aplicado e juros dos principais produtos de renda fixa. Então, se o Banco Central (Bacen), decretar liquidação de algum banco, o FGC vai ressarcir todos os investidores (respeitando algumas regras).

O teto do FGC é de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ e banco emissor. Então até esse valor o seu CDB está protegido, assim como a poupança.

Existem diversos investimentos em renda fixa que rendem ainda muito mais que a poupança. Mas, eu preferi destacar o CDB com liquidez diária para deixar o investidor mais a vontade em sua primeira aplicação e após isso começar a explorar outros tipos de investimentos de longo prazo, para formação de patrimônio. Espero que tenham aprendido um pouco sobre investimentos com o texto de hoje. Vou ficando por aqui, bons investimentos, abraços a todos e até a próxima!

Artigos que podem ser úteis: Principais características de renda fixa | Renda Fixa X Renda Variável

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2018-06-29T20:36:42+00:00 julho 3rd, 2018|Investimentos, Renda Fixa|0 Comments

About the Author:

Carlos Simão
Mestre em Teoria Econômica pela UEM e formado em Ciências Econômicas pela UNESP, se interessa por temas relacionados a investimentos, macroeconomia, empreendedorismo e finanças pessoais. Atua como criador de conteúdo e consultor econômico no App Renda Fixa.

Leave A Comment