Rentabilidade X Liquidez: Qual escolher para meu investimento?

Na hora de escolher um investimento você deve decidir por alguns critérios como o prazo de resgate, o nível de risco que está disposto a correr naquela aplicação, qual o indexador, entre tantos outros. A gente sabe que essa não é uma decisão fácil e que para entender melhor você deverá ter algum conhecimento sobre o mercado financeiro.

No artigo de hoje vamos explicar sobre dois importantes fatores que você deve levar em consideração na hora de decidir por seu produto de investimento e quais são as consequências de cada um destes.

Rentabilidade X Liquidez: Qual escolher para meu investimento?

O que é rentabilidade?

A rentabilidade pode ser entendida como o retorno de um investimento. Toda vez que fazemos uma aplicação em um ativo financeiro, seja em um título público, em um CDB ou até em uma ação, é comum existir uma diferença entre o valor que investimentos e a quantia que resgatamos. Essa será a rentabilidade do investimento.

Isso acontece pois quando investimos, estamos levando nosso dinheiro do presente para o futuro, por não usar esse valor agora, iremos receber uma remuneração, ou seja, um “prêmio”. Essa remuneração será por conta da taxa de juros ou a valorização (no caso do mercado de renda variável).

Usando um exemplo prático e supondo que eu apliquei R$ 5.000 em um CDB (Certificado de Depósito Bancário) e no final do período de resgate de dois anos fui verificar meu saldo é lá constava o valor total de R$ 5.500. Nessa operação minha rentabilidade bruta foi de 10%.

Para saber a rentabilidade líquida do meu investimento, terei que descontar o imposto de renda e as taxas envolvidas na operação. Nessa suposição que fiz como o prazo de resgate era de dois anos, a alíquota do imposto de renda será a mínima de acordo com a tabela regressiva o valor de 15%. O desconto do imposto de renda será feito sobre a rentabilidade e nunca sobre o valor total.

R$ 500 x 15% = R$ 75

R$ 5.500 – 75 = R$ 5.425

Esse será o rendimento líquido da minha operação, ou seja, o que meu investimento irá render descontado do imposto de renda. Como nessa operação não considerei nenhuma outra taxa pela compra do meu título, o imposto será a única cobrança a ser feita.

O que é liquidez?

Liquidez é a velocidade que um ativo pode ser convertido em dinheiro. Entendendo isso de forma mais clara no mundo dos investimentos, esse conceito se refere a facilidade que um investidor consegue transformar seu investimento novamente em dinheiro.

Quando falamos que um ativo possui pouca liquidez, é porque ele possui uma maior dificuldade de ser convertido em dinheiro. Por exemplo, um imóvel é um ativo de baixa liquidez, imagine a situação do proprietário de um imóvel que precise de dinheiro por conta de alguma emergência.

Caso ele não tenha uma outra forma de ter esse valor em mãos, terá que se desfazer do seu bem. Colocar um imóvel a venda é algo bastante complicado, como estamos falando de uma situação emergencial, é muito provável que para que ele consiga vender esse bem tenha que ofertá-lo por um preço menor do que esperava vender.

Mas e caso o proprietário desse imóvel conte com a sorte de conseguir vendê-lo em um menor tempo? Todos os trâmites necessários para conseguir fazer essa venda levariam muito tempo e também muito dinheiro, algo que poderia complicar a vida desse investidor.

Então, essa potencial dificuldade de encontrar compradores ou a necessidade de um tempo mais longo para liquidar esse investimento, caracterizam a baixa liquidez de um ativo. Certamente não podemos prever quando iremos precisar desse dinheiro, por isso, devemos nos programar até para o que nos é inesperado.

Ao contrário, um ativo com boa liquidez pode ser convertido facilmente em dinheiro. Um exemplo bem comum é a caderneta de poupança, você pode sacar seus recursos a qualquer momento, só tenha atenção ao aniversário da poupança, pois os juros dessa aplicação são pagos uma vez ao mês. Se sacar um dia antes desta data, irá perder a rentabilidade.

Ao escolher um investimento no mercado de renda variável, ter atenção a esse fator é fundamental. Ações com boa liquidez serão aquelas mais procuradas pelos investidores, essas são mais fáceis de serem transacionadas. A mesma regra funciona para Fundos de Investimento Imobiliário, o ideal é que quando você decidir vender suas cotas, possa fazer isso sem tantas dores de cabeça.

Trade-off

Entender melhor esses conceitos pode ajudar bastante o investidor na hora de fazer suas escolhas. O que a gente percebe é que as pessoas não costumam perceber como acontece essa relação entre liquidez e rentabilidade.

Quando nós fazemos um investimento em renda fixa, por exemplo, estamos emprestando nosso dinheiro para uma instituição financeira que irá atuar como uma intermediadora. A instituição irá usar esse dinheiro para emprestar a quem necessita desse crédito.

A diferença é que para você que aplica o seu dinheiro é paga uma taxa, que irá corresponder a rentabilidade, e para quem irá precisar do empréstimo será cobrada uma taxa, bem maior do que a que você irá receber, esse é o conceito de spread e é a principal forma que os bancos ganham dinheiro.

Assim, caso o banco não tenha muita certeza de quando você irá precisar daquele dinheiro, terá que manter um saldo em caixa para cumprir com o seu compromisso. Mas se entre vocês foi acordado um período mais longo de tempo, por exemplo, dois anos, ele não terá que provisionar e poderá oferecer uma taxa mais vantajosa por isso.

Ou seja, o investidor paga, de certa forma, por uma liquidez maior. A poupança, como falei, possui uma boa liquidez, porém sua rentabilidade está bem abaixo de outros investimentos do mercado. Por isso esse é um importante critério a ser avaliado.

Situações que envolvem conflito de escolha, são chamadas de trade-off. O fato é que terá que avaliar o que é prioridade para você ao investir no produto: rentabilidade ou liquidez. Caso você siga um bom planejamento financeira, já possua uma reserva de emergência e queira diversificar seus investimentos, optar por produtos com maior rentabilidade pode ser uma boa escolha.

Porém, se ainda possui um valor pequeno para investir ou não tem muita certeza de quando irá precisar desse dinheiro, a decisão mais inteligente é priorizar a liquidez nos seus investimentos, mesmo que custe uma taxa menor. Isso porque depender de empréstimos bancários em situações de emergência pode custar muito, mas muito mais caro.

Conclusão

Entender o significado desses conceitos e de que forma eles estão relacionados pode ajudar bastante o investidor em sua tomada de decisão. É claro, que antes de qualquer escolha você deve ter definido seus objetivos e saber qual o seu perfil de investidor.

De forma resumida, quanto mais alta a liquidez do seu investimento, menor será a rentabilidade e isso também ocorre de maneira inversa. Porém, quando você sabe quais são os seus planos para aquele dinheiro e o prazo que possui para cada um deles fica muito mais claro definir suas estratégias e até diversificar sua carteira em busca de contemplar diferentes situações.

Espero que vocês tenham aprendido algo novo com o artigo de hoje, não se esqueçam de acompanhar também o nosso canal do YouTube e qualquer dúvida é só entrar em contato com a gente pelos comentários.

Até a próxima!

Artigos que podem ser úteis para você: Poupança X Tesouro Selic: Qual investimento rende mais?Como simplificar suas decisões com o aporte programado

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2018-08-16T14:38:12+00:00 agosto 16th, 2018|Investimentos, Renda Fixa|0 Comments

About the Author:

Fernanda Fonseca
É formada em Economia com especialização em Finanças e pós graduada em Economia Comportamental. Curiosa por assuntos que envolvam o comportamento humano e decisões financeiras.

Leave A Comment