Liquidez: todo cuidado é pouco!

Na ânsia de começar a investir, muita gente olha apenas para a rentabilidade, mas pequenos detalhes podem dar uma grande dor de cabeça se você não entender alguns conceitos do mercado financeiro.

Um desses conceitos é a liquidez do seu investimento, que é a facilidade do seu ativo se transformar em dinheiro. Quanto maior for a liquidez, maior será a facilidade do resgate. Da mesma forma, quanto menor for a liquidez, mais difícil será ter o dinheiro na mão.

Por isso a liquidez deve ser trabalhada de acordo com o objetivo do seu investimento. Se você busca criar uma reserva de emergência, investimentos que oferecem liquidez apenas no vencimento devem ser evitados, uma vez que você não poderá resgatá-lo antes do prazo combinado ou poderá se o valor do ativo for reduzido, causando uma perda de rentabilidade significativa.

Conciliar a rentabilidade com o prazo e a liquidez é o principal desafio de qualquer investidor. Investimentos de renda fixa com rentabilidade acima da média costumam oferecer liquidez apenas no vencimento e prazos mais longos, enquanto aqueles que pagam até 100% da taxa DI costumam oferecer liquidez diária.

Liquidez em cada tipo investimento:

  • Caderneta de poupança: é o investimento com a maior facilidade de resgate, podendo ser feito inclusive aos finais de semana e feriados. Alguns bancos oferecem inclusive um cartão de débito vinculado a sua conta poupança;
  • CDB (Certificado de Depósito Bancário) e LC (Letra de Câmbio): podem oferecer tanto liquidez no vencimento quanto liquidez diária;
  • LCI (Letra de Crédito Imobiliário) e LCA (Letra de Crédito do Agronegócio): oferecem liquidez no vencimento na maioria das vezes, mas também podem oferecer liquidez diária, desde que respeitado o prazo mínimo de carência de 3 meses;
  • Títulos públicos: oferecem liquidez diária, porém os títulos podem perder valor se vendidos antecipadamente – com exceção do Tesouro Selic –, uma vez que sofrem do efeito da marcação a mercado;
  • Debêntures: oferecem liquidez apenas no vencimento;
  • Ações: depende do papel adquirido. Se for um papel de baixa liquidez, sua ordem de venda poderá não ser efetivada ou ficar pendurada por vários dias. Ações das maiores empresas do pais costumam ter alta liquidez;

Os tipos de liquidez:

  • Liquidez imediata: o investimento se transforma em dinheiro no momento que você solicita o resgate, inclusive aos finais de semana. Ex.: caderneta de poupança;
  • Liquidez diária: o investimento se transforma em dinheiro no momento que você solicita o resgate (desde que seja dia útil) ou no dia útil seguinte a solicitação, dependendo dos prazos da sua instituição financeira. Ex.: Tesouro Selic, CDB, etc.;
  • Liquidez no vencimento: o investimento só poderá ser resgatado na data de vencimento. Caso o título seja transferível, o investidor poderá negociar o resgate com a sua instituição financeira – que possivelmente não irá pagar toda a rentabilidade acordada inicialmente – ou no mercado secundário, que vai depender do interesse de um terceiro.

A liquidez do investimento é mais importante até do que a própria rentabilidade, já que a alta rentabilidade não vale de nada se seu objetivo é poder resgatar o investimento sempre que for necessário.

Espero que vocês tenham gostado do artigo! Dúvidas ou sugestões de temas, deixem aqui nos comentários.

Artigos que podem ser úteis: Aprenda a definir metas financeiras | O que são dividendos

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
2018-10-04T13:07:44+00:00