Como usar o Fundo Garantidor de Crédito (FGC) a seu favor

O objetivo principal de boa parte dos brasileiros ao investir é preservar seu patrimônio ao longo do tempo e para isso buscam aplicações com menor risco. Investimentos de renda fixa oferecem uma gama de produtos que atendem muito bem essa necessidade. No artigo de hoje vou falar mais sobre o FGC – Fundo Garantidor de Crédito, instituição responsável por aumentar a confiança ao oferecer garantias para alguns tipos de investimentos.

Primeiro vou falar precisamente o que é o FGC – Fundo Garantidor de Crédito, o porquê de ser criado e suas obrigações. Em seguida, vou abordar estratégias para utilizar o FGC – Fundo Garantidor de Crédito a seu favor, a fim de proteger a totalidade de seu patrimônio. Ao final vou comentar uma manobra bem arriscada que pode ser útil para investidores mais especuladores ou arrojados.

Se você ainda é iniciante nos investimentos, eu recomendo que leia alguns textos do nosso blog antes de terminar esse para melhorar sua compreensão. Vou sugerir alguns:

Renda Fixa x Renda Variável: você sabe a diferença?
Quais os riscos na hora de investir?
Títulos Privados

Uma rápida revisão

Investir em renda fixa é conceder empréstimos (comprar título), pode ser para o governo, setor bancário ou empresas. Investir em renda variável é adquirir propriedade: imóvel, ação, opções, etc.

Existem quatro (4) tipos de risco: crédito, mercado, liquidez e vacância. O último é exclusivo para imóveis. Em renda fixa o principal risco é o de credito, ou seja, o não pagamento (calote), e é nesse ponto que surge a figura do FGC.

O que é FGC?

Criado em 1995 através das Resoluções 2.197 e 2.221 do Conselho Monetário Nacional (CMN), o Fundo Garantidor de Créditos, mais conhecido como FGC, é uma entidade privada sem fins lucrativos, que funciona como um instrumento de proteção aos participantes do Sistema Financeiro Nacional.

O principal objetivo do fundo é melhorar a confiança do sistema financeiro nacional. Antes de sua criação, quando algum banco decretava falência a população entrava em pânico e isso afetava o sistema inteiro. Diferente de outros setores da economia, o financeiro necessita de grande confiança. Para isso, o FGC – Fundo Garantidor de Crédito garante o capital aplicado e juros dos principais produtos de renda fixa. Então, se o Banco Central (Bacen), decretar liquidação de algum banco, o FGC – Fundo Garantidor de Crédito vai ressarcir todos os investidores (respeitando algumas regras).

Fazem parte da garantia ordinária proporcionada pelo FGC:

  • Conta corrente;
  • Caderneta de poupança;
  • Certificado de depósito bancário (CDB);
  • Recibo de depósito bancário (RDB);
  • Letra de câmbio (LC);
  • Letra de crédito imobiliário (LCI);
  • Letra de crédito do agronegócio (LCA);
  • Letra imobiliária (LI);
  • Letra hipotecária (LH);

O depósito a prazo com garantia especial (DPGE) possui garantia especial, vou explicar melhor em breve.

O teto de cobertura do FGC é de R$ 250 mil por CPF ou CNPJ em cada instituição. Os saques do FGC não podem superar R$ 1 milhão para a mesma pessoa física ou jurídica em um período de quatro anos. No caso do DPGE o teto é de R$ 20 milhões por CPF/CNPJ e instituição emissora. Lembrando que a garantia cobre o montante principal e também os juros. Essas regras são para investimentos realizados a partir de 22 de dezembro de 2017.

Ninguém espera recorrer ao FGC, mas caso o banco ou financeira em que investiu entre em processo de liquidação, o FGC não possui um prazo fixo para reembolsar os investidores, mas em média o fundo leva entre 30 e 60 dias depois de decretada a liquidação. Recentemente no caso do Banco Neon o fundo levou menos de 1 mês.

Como proteger 100% de seus investimentos

No momento você já conhece melhor o FGC, compreendeu suas regras e funcionamento, agora irei te ensinar uma estratégia muito utilizada por diversos investidores.

Para sempre estar protegido pelo fundo você deve diversificar seus investimentos em diversos bancos ou financeiras. Quando se trata de títulos pós-fixados, se você investe menos de R$ 50 mil reais, você não precisa ainda se preocupar com isso, mas para quantias acima desse valor, o investidor deve tomar mais cuidado.

Primeiro, porque estou traçando uma linha em R$ 50 mil? Bom, existem investimentos de renda fixa cobertos pelo FGC com prazo de vencimento de até 10 anos. Ninguém sabe quem serão os próximos presidentes da república, ministros e nem como vai estar o cenário internacional, então pode ser que R$ 50 mil ao final de 10 anos podem ultrapassar o teto do fundo. Resumindo não invista na mesma instituição mais de R$ 50 mil para títulos de longo prazo. Escolha outras instituições e diversifique!

Caso você venha a investir em títulos prefixados, a matemática é mais simples basta você simular quanto vai ser o capital acumulado ao final do seu investimento. O App Renda Fixa já faz essa conta por você, basta abrir o título desejado e conferir o valor máximo que deve ser investido para respeitar as regras de cobertura.

Caso você pretenda investir em títulos pós-fixados, porém, são de até 5 anos, você pode, claro, investir mais de R$ 50 mil, também no App nós já disponibilizamos o cálculo para títulos pós atrelados ao CDI ou IPCA+.

Uma última dica, sempre deixe uma gordura (margem), não invista o valor máximo baseado na simulação, por serem estimativas simulações não vão ser precisas, novamente isso não se aplica em títulos prefixados.

Especular com o FGC

Para quem é mais arrojado uma estratégia pode ser bem interessante. Investir esperando que o banco ou instituição emissora quebre! Como assim? Sim, é um pouco estranho você torcer contra seu investimento (fracassar), mas vou tentar explicar porque pode ser vantajoso.

Emissores em pior situação precisam de taxas mais atrativas para conseguir captar recursos de investidores. Então, você pode comprar um título de 5 anos dessas instituições, por exemplo, que vão pagar uma taxa absurda e esperar que em 1 ou 2 anos liquidem para você resgatar o capital mais juros junto ao FGC. Na pratica você está investindo em uma taxa muito boa de longo prazo, mas com resgate no curto, algo que não acontece em condições normais.

Mesmo que leve alguns meses, com uma taxa muito alta de rentabilidade o tempo de espera para o resgate vai valer a pena.

Espero que tenham gostado do artigo de hoje e entendido um pouco melhor o que significa essas três letrinhas, FGC. Se tiver alguma sugestão de texto ou dúvida, deixa nos comentários que iremos responder. Vou ficando por aqui, um abraço a todos e bons investimentos!

Artigos que podem ser úteis: Onde investir com salário de estagiário | Como escolher o investimento mais adequado para você

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2018-06-25T13:42:15+00:00 junho 25th, 2018|Investimentos, Renda Fixa|0 Comments

About the Author:

Carlos Simão
Mestre em Teoria Econômica pela UEM e formado em Ciências Econômicas pela UNESP, se interessa por temas relacionados a investimentos, macroeconomia, empreendedorismo e finanças pessoais. Atua como criador de conteúdo e consultor econômico no App Renda Fixa.

Leave A Comment