Tesouro Direto – Confira as Principais dúvidas sobre esse Investimento

Muitos brasileiros, ainda iniciantes no mundo dos investimentos, quando começam a investir optam pelo Tesouro Direto. O motivo é sempre porque algum amigo falou que investe, ou ouviu em algum lugar que é um bom investimento, etc.

Contudo, mesmo tendo mais de 16 anos de existência, o Tesouro Direto ainda é desconhecido e mal entendido por boa parte da população. O artigo de hoje vai tentar sanar as principais dúvidas sobre esse tipo de investimento. Vou elencar quais são as principais perguntas feitas por pessoas que querem começar a investir ou que já estão investindo.

Principais dúvidas sobre o Tesouro Direto

O que é Tesouro Direto?

O Tesouro Direto é um programa do Tesouro Nacional em parceria com a B3, antiga BM&F Bovespa, criado em 2002 para venda de títulos públicos para pessoas físicas, por meio da internet. Em outras palavras, é uma plataforma online criada para você emprestar dinheiro para o estado. Se antes para se tornar credor do governo era necessário comprar títulos públicos através de fundos ou bancos, agora você pode comprar diretamente pela plataforma online.

Compensa investir no Tesouro Direto?

É uma pergunta comum de se ouvir, mas ela tem alguns problemas. Primeiro você não investe no Tesouro Direto, você investe através dele. Segundo, todos os títulos disponíveis na plataforma são excelentes, desde que você aplique no título que está de acordo com o seu objetivo. Cada título possui características próprias, no nosso blog você encontra textos descrevendo detalhadamente todos. Vou deixar aqui um resumo de cada:

  • Tesouro Selic – é indicado para investimentos de curto prazo, por exemplo, reserva de emergência. Hoje em dia é mais conhecido como a nova poupança dos brasileiros.
  • Tesouro Prefixado – é mais indicado para quem possui objetivos de médio prazo, como trocar de carro. Devido à taxa prefixada, o investidor sabe exatamente o quanto vai resgatar ao final.
  • Tesouro IPCA+ – é recomendado para objetivos de longo prazo, principalmente aposentadoria e preservação do capital, por sempre corrigir o montante investido de acordo com a inflação mais o pagamento de uma taxa de juros prefixada.

É seguro investir no Tesouro Direto?

Com certeza, os títulos públicos são os investimentos mais seguros entre todos. A capacidade única do governo de captar recursos da sociedade através da arrecadação de impostos ou imprimir papel-moeda (dinheiro), o torna o melhor devedor do mercado. Seu capital aplicado no Tesouro está mais seguro se comparado à poupança ou guardado embaixo do colchão. Estatisticamente a chance de seu branco quebrar ou pior ainda, um ladrão invadir sua casa são maiores que a possibilidade do governo não honrar sua dívida.

Posso resgatar quando eu quiser?

Você pode resgatar ou investir nos dias úteis, das 9h30 às 18h, com os preços e taxas disponíveis no momento da transação. Mas cuidado, o resgate antecipado pode gerar alguns problemas e vou falar mais sobre eles na próxima dúvida.

Por que estou perdendo dinheiro no Tesouro Direto?

Um investidor que resgata o título apenas no vencimento não terá prejuízos com o Tesouro Direto, seja o título pós ou prefixado. Aqueles, no entanto, que acabam vendendo seus títulos antes do prazo estipulado têm grandes chances de perder parte do capital aplicado e sair com prejuízos.

Imagine, por exemplo, que você comprou o Tesouro Prefixado (LTN) 2021 com taxa de 9,63% por R$ 793,20. Caso dois meses depois a LTN na plataforma do Tesouro esteja sendo vendida a 10% (taxa de compra), seu título automaticamente perde valor. Para alguém estar disposto a comprar o seu titulo que está rendendo menos, necessariamente essa pessoa vai comprar a um valor abaixo do valor que você adquiriu. Tanto o Tesouro Prefixado como o IPCA+, possuem essa característica de oscilação de preços que chamamos de marcação a mercado.

Esta oscilação não fará diferença se você aguardar até o vencimento do título para efetivar o resgate do investimento e suas respectivas rentabilidades. Porém, se você desejar vender seus papéis antes do vencimento, poderá ter prejuízos caso a venda ocorra nos dias em que a marcação do título esteja abaixo do valor investido.

Na próxima pergunta vou dar um exemplo que vai ajudar a deixar mais claro o comportamento das taxas de compra e venda do Tesouro Direto.

Posso comprar o mesmo título sempre?

Não, você não consegue comprar o mesmo título, porém, pode comprar outro “parecido”, calma! Vou explicar. Para facilitar a explicação vou dar um exemplo. Imagine um chocolate que você compra no supermercado todo mês, tecnicamente você não está comprando o mesmo chocolate, mesmo que seja da mesma marca. Cada chocolate pertence a um lote de fabricação e possui um custo de matéria-prima, a partir disso ele vai ter um preço. Então, pode ser que você compre um chocolate por R$ 10 e no mês seguinte o mesmo está sendo comercializado a R$ 12. Se você não consumiu esse chocolate vai poder vendê-lo ao atual preço de mercado e lucrar. Caso o valor do chocolate abaixe para R$ 8, você pode vender e assumir o prejuízo ou esperar o mercado melhorar e vender depois.

Isso que acabei de exemplificar se aplica também ao Tesouro Direto, você sempre vai comprar um título diferente assim como o chocolate, mas que são muito parecidos. O que vai mudar é o custo de captação, ou melhor, “fabricação” do emissor e com certeza ele vai repassar para você investidor.

Possui Imposto de Renda?

Sim, todos os títulos disponíveis no Tesouro Direto estão sujeitos ao Imposto de Renda (IR). É bom lembrar que o imposto é sobre a rentabilidade do período e não sobre o capital aplicado. A alíquota do IR segue a tabela regressiva usada em grande parte das aplicações de renda fixa.

  • Até 180 dias de aplicação, 22,5%;
  • De 181 a 360 dias, 20%;
  • De 361 a 720 dias, 17,5%;
  • Acima de 720 dias, 15%.

Caso o período de investimento seja inferior a 30 dias, também será cobrado o Imposto sobre Operações Financeiras (IOF), que incide sobre o rendimento. Este imposto varia de 96% no primeiro dia de investimento a 3% no 29º dia de investimento.

Espero que eu tenha conseguido responder algumas dúvidas comuns de investidores iniciantes sobre o Tesouro Direto. Posso fazer em outro momento mais um texto com mais dúvidas que alguns ainda possam ter. Espero que tenham aprendido um pouco mais. Vou ficando por aqui, bons investimentos e um abraço a todos!

Artigos que podem ser úteis para você: Seu primeiro investimento em renda fixa: CDB | 4 investimentos que podem pagar renda

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2019-02-05T20:47:38+00:00 julho 23rd, 2018|Investimentos|0 Comments

About the Author:

App Renda Fixa
É possível através do aplicativo Renda Fixa comparar, pesquisar vários tipos de investimentos reais por valor, período de vencimentos, tipos de investimentos e corretoras, podendo ser ordenados em sua pesquisa por taxa, vencimento, tipos de investimentos e corretoras. Baixe o app Renda Fixa. :)

Leave A Comment