Mulheres no mercado de trabalho


Confira hoje mais um artigo da nossa série especial para o mês de comemoração do Dia Internacional da Mulher e o tema de hoje é a participação e a importância das mulheres no mercado de trabalho para movimentar a economia do país.

A atuação das mulheres no mercado de trabalho garante uma série de benefícios para a sociedade e para a economia brasileira.

As mulheres no mercado de trabalho possuem uma grande importância para a economia do país, movimentando, todos os anos, algo em torno de 382 milhões de reais, mesmo com a economia do país em um momento de recessão, demonstrando a força do público feminino nesse cenário.

Veja nos tópicos a seguir mais sobre a importância das mulheres no mercado de trabalho. Continue lendo.

Participação feminina no mercado de trabalho

Um pouco mais da metade da população do Brasil é composta pelo público feminino, e mesmo assim a situação das mulheres no mercado de trabalhoé menos favorável que a dos homens.

Enquanto para eles a taxa de desemprego no país é de 10,6%, no caso delas, a taxa de desemprego é de 13,8%.

E existem mais desigualdades para as mulheres no mercado de trabalho que ocupam somente 37% dos postos de lideranças em empresas do Brasil. Quando se fala em grandes corporações, por sua vez, a taxa cai para os 10%.

Mesmo quando conseguem chegar a cargos de gerência ou de direção dentro das empresas do país, a média dos salários femininos chegam a ser quase 47% mais baixos do que os salários dos homens mesmo em profissões que são normalmente associadas ao público feminino.

Ocupações normalmente associadas às mulheres, que são aquelas derivadas de um papel social da mulher como cuidadora, contam com um status social e uma remuneração inferior do que aquelas normalmente associadas aos homens.

No campo da saúde, por exemplo, as vagas de profissionais auxiliares ou técnicas de enfermagem, que são os cargos com as remunerações mais baixas, são, em grande parte, ocupadas por mulheres.

Em contrapartida, médicos cirurgiões, que recebem os salários mais altos e contam com uma valorização social maior, são, na sua maioria, homens.

A mesma discrepância acontece em diversos outros segmentos.

Outro problema enfrentado pelas mulheres no mercado de trabalho é em relação ao acúmulo de tarefas, que contribui para que um quadro de desigualdade de gênero no ambiente de trabalho se mantenha.

Os principais, quando não os únicos, responsáveis pela execução das tarefas domésticas, do cuidado com os filhos e outras responsabilidades para com a família ainda nos dias de hoje continuam sendo as mulheres.

Sendo assim, elas continuam acumulando uma série de papéis de gênero mesmo quando estão inseridas de forma bem-sucedida no mercado de trabalho.

Manter a vida profissional e as atividades relacionadas a vida pessoal continua sendo um grande desafio para muitas mulheres e algumas vezes, esse pode ser um problema impossível de ser superado na vida delas.

O problema, conhecido como dupla jornada, não é apenas a sobrecarga de trabalho que pode vir a se tornar insuportável em algum momento da vida da mulher.

Somado a ele, também podemos observar uma certa rejeição do mercado de trabalho às mulheres que possuem responsabilidades familiares. Mulheres com filhos tendem a ser preteridas em processos seletivos e para cargos de chefia e muitas vezes elas precisam escolher se dedicar às suas carreiras ou às famílias.

Ao se observar os dados que apresentamos fica evidente, e de forma cruel e nítida, que a desigualdade de gênero no Brasil ainda é uma realidade, assim como no resto do mundo.

Entretanto, ainda que as mulheres no mercado de trabalho brasileiro estejam ocupando menos cargos de liderança, contem com menos oportunidades e recebam salários mais baixos do que os dos homens, pesquisas apontam um aumento da participação das mulheres.

A atuação das mulheres conta com um potencial para movimentar cerca de 382 milhões de reais na economia do país, fazendo com que o PIB nacional consiga crescer algo em torno de 3%.

Os problemas enfrentados pelas mulheres no mercado de trabalho são reflexos de uma série de crenças e de atitudes machistas que estão enraizadas na cultura do país, o que reflete na postura das empresas e da sociedade de forma geral.

A realidade apresentada é considerada grave, tanto que a Organização Internacional do Trabalho – a OIT, colocou a desigualdade de gênero entre os principais desafios do mundo do trabalho a serem superados.

As consequências da desigualdade de gênero no mercado de trabalho

Para que o problema da desigualdade de gênero, que é um dos fatores que mais afeta as mulheres no mercado de trabalho, em primeiro lugar é fundamental que você tenha uma noção acerca daquilo que o antecede. As causas dessas desigualdades possuem raízes históricas, culturais e sociais.

A desigualdade de gênero no mercado de trabalho tem a sua origem em uma cultura na qual o machismo está enraizado, fazendo com que crenças e associações infundadas sejam implicadas aos profissionais, em especial nos do sexo feminino.

Para as mulheres, é exigido um nível de qualificação mais alto para que ela possa ocupar o mesmo cargo e exercer a mesma função do que um homem.

Isso acontece porque as capacidades e a competência das profissionais do sexo feminino são colocadas em xeque de forma muito mais incisiva e com mais frequência.

E existe também um problema que pode ser ainda maior: as mulheres no mercado de trabalho estão mais propensas a serem vítimas de assédio moral ou sexual por parte de colegas e de seus superiores nas empresas onde trabalham.

3 formas de estimular a maior participação das mulheres nas empresas

Para que a situação seja superada e as mulheres no mercado de trabalho possam estar nas mesmas condições do que seus colegas do sexo masculino, são necessárias uma série de mudanças culturais e de atitude por parte das organizações e das pessoas de forma geral.

Empresas que desejam fazer parte dessas mudanças e melhorar as condições das suas funcionárias, podem adotar as seguintes posturas:

  1. Entender que a desigualdade de gênero existe e é um problema grave, a partir daí, é necessário identificar as práticas e atitudes sexistas dentro da organização.

O primeiro passo para a mudança, nesse sentido, consiste em entender que o machismo é um fato e está presente na maior parte das empresas do mundo inteiro.

Assim será possível que a organização identifique possíveis ações enviesadas dos seus funcionários e dos seus gestores, investindo em planos de ação que possam conscientizar e mudar as percepções dessas pessoas.

É necessário se posicionar de forma contrária a todos os tipos de assédio e de atitudes machistas que possam ocorrer dentro da empresa. O assédio é considerado um crime e nenhum grau deverá ser tolerado no ambiente de trabalho.

  1. Os processos seletivos devem ser criados e transcorrer livres de vieses de gênero.

Normalmente as mulheres no mercado de trabalho precisam comprovar a sua capacidade de produzir com mais frequência e mais intensidade do que os homens e em alguns processos seletivos, essa situação pode ficar nítida.

Sendo assim, o setor de recrutamento e de seleção de uma empresa devem ser revistos com uma certa frequência e os funcionários do mesmo devem ser capacitados de forma a evitar atitudes como essa.

Assim a organização aumenta as suas chances de encontrar mulheres com competência e talento que podem agregar mais valor ao negócio.

  1. As avaliações devem acontecer de forma objetiva e é necessário que a empresa esteja disposta a realizar um diagnóstico sério sobre a maneira como o desempenho dos seus funcionários está sendo avaliado.

Os critérios usados para oferecer uma promoção a determinado funcionário também deve ser observado com cuidado.

O ideal é investir em práticas que levem a uma avaliação objetiva e que não considere o gênero do profissional em questão.

Dessa maneira, além de combater uma discriminação injusta em virtude do gênero do funcionário e não de suas habilidades, a empresa poderá ser beneficiada com todas as qualidades e com a importância da atuação das mulheres no mercado de trabalho.

No artigo de hoje você viu como a atuação das mulheres no mercado de trabalho contribui para que a economia do país se mantenha em constante movimento.

Se você gostou desse artigo e quer ver mais conteúdo como esse continue acompanhando as nossas publicações e confira os nossos artigos anteriores no arquivo aqui do blog.

No Renda Fixa você encontra dicas para organizar o seu orçamento e manter a sua vida financeira estável, além de diversas orientações para que você aprenda a fazer o seu dinheiro trabalhar por você por meio das melhores aplicações financeiras disponíveis no mercado de investimentos.

Deixe o seu comentário a seguir.

Artigos que podem ser úteis para você:  As mulheres são minoria no mercado de investimento. Como mudar esse jogo?

 | Conheça a história de 5 mulheres para você se inspirar

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2019-03-18T14:20:37+00:00 março 18th, 2019|Investimentos|0 Comments

Leave A Comment