Guia definitivo da Renda Fixa


Antes de mais nada, você precisa entender o que é renda fixa.

Esse tipo de investimento é recomendado para qualquer tipo de perfil de investidor, uma vez que ele, pois é um tipo de investimento relativamente mais seguro, além de também ser rentável.

A renda fixa funciona como se fosse um dinheiro que você tem guardado e empresta para instituições financeiras, que podem ser o banco ou outras e até mesmo para o governo e, quando você tem o dinheiro devolvido, ele vem com correções.

Além disso, existem os títulos de renda fixa, prefixados, quando você já sabe a remuneração a receber no momento em que fizer a aplicação e também existem os títulos pós-fixados, que são os que você só saberá a remuneração ao fim da aplicação, pois dependem de índices e taxas de juros estabelecidos previamente.

GUIA DEFINITIVO DA RENDA FIXA

Quais as características da Renda Fixa?

Quando você decide fazer aplicações em títulos de renda fixa, precisa levar em consideração algumas características, como por exemplo:

  • Emissor do título

É importante você avaliar o emissor do título, pois essa questão está ligada diretamente ao risco do seu investimento.

Os títulos públicos do Tesouro Direto possuem menos riscos em relação aos títulos privados. Mas, se você quiser investir em títulos de financeiras privadas, é importante ficar ligado ao rating de crédito da instituição. Isto é, avaliar a situação financeira do emissor do título.

  • Rendimento do título

Como já mencionado, existem títulos com rendimentos prefixados e pós-fixados. E na hora de escolher investir em renda fixa, é preciso levar isso em consideração.

Se você quer saber exatamente quanto irá recuperar, escolha os títulos prefixados, pois os títulos pós-fixados dependem de variantes externas como, por exemplo, uma taxa de câmbio para ter o valor definido. Apresenta mais risco, mas também pode ter mais possibilidade de ganhos.

  • Prazo

O prazo de recuperação está diretamente ligado ao risco do seu investimento, pois um emissor de título que está financeiramente saudável hoje, pode não estar mais daqui a 3 anos e você acabar saindo no prejuízo. Por isso, leve sempre em consideração o prazo para poder sacar o seu investimento em renda fixa.

Além disso, o seu objetivo também deve estar alinhado com o prazo estipulado pelo investimento pelo qual você optou.

Quais as garantias da Renda Fixa?

Os investimentos em renda fixa possuem algumas garantias para os investidores, que visam proteger de riscos o seu dinheiro.

Geralmente, as garantias desses investimentos garantem que o investidor tenha seu dinheiro ressarcido, caso a instituição emissora do título de investido declare falência. Com isso, o investidor pode aplicar seu dinheiro com segurança, sabendo que tem algumas garantias. Veja a seguir, quais são:

  • FGC – Fundo Garantidor de Crédito

O FGC funciona como uma ONG mantida por instituições financeiras e visa garantir aos investidores uma forma de proteção.

Entre os associados desse tipo de fundo, estão a Caixa Econômica Federal, bancos e financeiras. O FGC garante ao investidor que, caso a instituição financeira escolhida por ele, vá à falência, ele devolve ao investidor até R$ 250 mil por CPF ou conglomerado financeiro, tendo um limite máximo de R$ 1 milhão pelo período de 4 anos.

Garantia de Segurança

Os investidores que optam por investir no Tesouro Nacional não têm direito ao FGC. Por isso, como garantia para esse tipo de investimento renda fixa, existe a Garantia de Segurança do Governo Federal. Porém, é muito remota a possibilidade de um dia o Governo Federal declarar falência e você perder seu dinheiro investido.

Conheça as principais aplicações

Até aqui você já entendeu o que é renda fixa, quais os pontos que é preciso levar em consideração na hora de decidir investir e quais são as garantias que o investidor tem, caso a instituição vá à falência. Mas e em qual título investir, como sabe? Confira a seguir os tipos de títulos de renda fixa existentes:

  • CDB

É o Certificado de Depósito Bancário e funciona como se fosse uma espécie de empréstimo que você faz para a instituição bancária, em troca de uma rentabilidade que tem a taxa definida no momento em que você faz a aplicação. Sendo caracterizados em: híbridos, pré-fixados e pós-fixados.

  • RDB

Parecido com o CDB, os Recibos de Depósitos Bancários também são como empréstimos feitos à instituições para que elas possam desempenhar suas atividades. Porém, diferente do CDB onde você empresta a bancos, com o RDB você pode emprestar para outros tipos de instituições financeiras também.

  • LC

Também muito parecido com o CDB, as Letras de Câmbio são emitidas por financeiras, as quais você também empresta o seu dinheiro e recebe o rendimento um tempo depois. Pode ter o rendimento ligado ao CDI ou com taxa fixa mais o IPCA.

  • LCI

As Letras de Crédito Imobiliário são investimentos de renda fixa, que tem como base o crédito imobiliário, ou seja, o dinheiro que você empresta, é utilizado para financiamentos, reformas ou construção de imóveis. Possui valor mínimo, taxa e prazos para o investimento, que variam de emissor para emissor. LCIs são isentas de IR.

  • LCA

Parecida com a LCI, porém possui o agronegócio como lastro, com isso, o seu dinheiro emprestado ao banco financiará projetos ligados ao agronegócio. LCAs são isentas de IR.

  • CRI

O Certificado de Recebíveis Imobiliário é parecido com a LCI, porém nesta modalidade não há proteção do FGC e por isso os riscos são maiores, assim como o retorno. Os títulos são também emitidos por companhias securitizadoras. CRIs são isentos de IR.

  • CRA

É o Certificado de Recebíveis do Agronegócio, bem parecido com o LCA, porém, neste caso os títulos são emitidos por securitizadoras e não pelo banco. E também, como no CRI não possui garantia do FGC. CRAs são isentos de IR.

Também é um título de renda fixa isento de Imposto de Renda e possui rendimentos pós-fixados, uma vez que o retorno do seu investimento depende da taxa de juros, mas ainda assim, por contar com a garantia do FGC é bastante seguro.

Se trata de uma plataforma de investimento onde o investidor encontra uma série de títulos para prazos e objetivos diferentes. Uma grande vantagem é que os títulos do Tesouro são considerados livres de risco por contarem com a garantia do Governo.

São títulos de renda fixa de dívida do setor privado. Podem ter taxas pré ou pós-fixadas, ou ainda taxas híbridas, sendo importante avaliar o rating da agência contratada.

  • LF

A Letra Financeira possui alta rentabilidade e costuma ter um prazo mais longo, além de aporte inicial também maior. A alíquota mínima de IR nessa modalidade de investimento é 15%.

  • FIDC

É um fundo de investimento, que reúne os investidores que juntam seus recursos em um único investimento e aplicam em Direitos Creditórios, que são os créditos que uma empresa tem a receber, como por exemplo, duplicatas, aluguéis, parcela de cartão de crédito, entre outros.

  • P2P

No mercado financeiro, o peer-to-peer é considerado uma grande revolução. O P2P é uma espécie de empréstimo que não necessita de bancos ou instituições financeiras. Você pode emprestar seu dinheiro diretamente a outra pessoa ou empresa, sem a intermediação dos bancos.

O P2P é um tipo de investimento de renda fixa que é vantajoso tanto para o investidor, quanto para as empresas, principalmente as pequenas e médias e as que têm dificuldade de conseguir um crédito financeiro junto aos bancos. Além disso, o dinheiro é devolvido com juros mais baixos.

Por não precisar da intermediação dos bancos, o P2P também é um tipo de investimento menos burocrático.

Com isso, mais cômodo também, pois ele pode ser feito completamente online, por meio de uma plataforma.

O maior risco que você pode correr com o peer-to-peer é o credor não realizar o pagamento da dívida, mas normalmente as plataformas disponibilizam ferramentas que te ajudam a avaliar em qual empresa você vai investir o seu dinheiro. Assim como é importante avaliar os ratings, também deve avaliar as empresas.

O ideal é que você também divida seus investimentos em várias empresas, diminuindo, assim o risco do não pagamento.

No artigo de hoje você viu tudo que você precisa saber sobre renda fixa, o que cada uma tem como benefícios e como aplicar em uma.

Se você gostou deste artigo e quer ver mais conteúdo como esse, continue acompanhando as nossas publicações e confira também os nossos artigos anteriores no arquivo aqui do blog.

Aqui no Renda Fixa você encontra as melhores dicas para aprender a lidar com as suas finanças, mantendo o seu orçamento organizado, suas contas em dia e poupando dinheiro, além de orientações valiosas para escolher as melhores alternativas de investimentos de acordo com os seus objetivos.

Tem alguma dúvida ou quer fazer uma sugestão? Deixe o seu comentário aqui abaixo!

Artigos que podem ser úteis para você: Como fazer aportes mensais para investir? | TED e DOC: Você sabe quanto paga?

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2019-04-10T11:34:54+00:00 abril 10th, 2019|Investimentos|0 Comments

Leave A Comment