De uma vez por todas: tenha um objetivo e planeje-se

“Se você não sabe aonde quer ir, qualquer caminho serve.”
Gato de Cheshire

Eu sempre falo que o primeiro passo para começar um investimento é definir um objetivo. Aliás, para qualquer plano que você tiver em sua vida, traçar uma meta é fundamental, mas principalmente quando falamos de finanças economizar dinheiro sem ter uma finalidade para tal não faz tanto sentido, pelo menos na minha cabeça. Imagina correr uma longa maratona cheia de barreiras e dificuldades e nem de perto ver a linha de chegada, meio desesperador não é?

Então, faça esse favor para a pessoa que você pretende se tornar daqui alguns anos, tenha bem claro os seus objetivos e planeje-se para alcançá-los. Isso é algo muito simples, você com toda certeza deseja conquistar sua independência financeira, fazer uma viagem, viver a experiência de um intercâmbio ou se já estiver a alguns degraus a mais, poupar dinheiro para a sua aposentadoria.

Tenho duas notícias para você uma boa e uma ruim, mas dessa vez quem irá escolher a ordem que elas serão dadas serei eu. A primeira é a ruim, se você não se planejar, ou seja, cortar gastos desnecessários e definir de uma vez por todas o que é prioridade para você e o que não é, as chances dos seus objetivos se tornarem reais são muito poucas. Agora a boa notícia é que ainda dá tempo de você começar a se programar e mudar completamente esse jogo.

Quando você sabe em quanto tempo pretende alcançar seus objetivos e o valor que eles irão custar, fica muito mais fácil definir a quantia que deverá poupar e investir todo mês. Para saber no seu orçamento onde você consegue eliminar esses gastos que não são prioridade e economizar a parcela que necessita para realizar o seu objetivo, você irá precisar colocar na ponta do lápis todos os seus gastos e analisar com muito cuidado onde poderá melhorar. Para isso você terá que utilizar uma planilha ou o que melhor funcione para você.

Eu sei que a vida é curta demais, que a gente só vive uma vez, que cada dia pode ser o último e todas essas frases feitas que as pessoas vivem compartilhando nas redes sociais. Mas ser planejado e cauteloso com o seu orçamento não significa aproveitar menos os prazeres da vida ou ser infeliz, aliás, se alguém disser isso enquanto você está focado tomando melhores decisões para o seu futuro, compartilhe esse texto com essa pessoa, combinado? Ela também precisa de orientação. Ter um objetivo e abandonar o que não é prioridade para você mesmo que seja só por um período vai te fazer economizar dinheiro, tempo e energia.

Outro ponto é que saber dizer não pode mudar completamente a sua vida financeira. Eu sou uma dessas pessoas que tem graves problemas em dizer não para os outros, mas percebi que não existe uma correlação positiva entre as vezes que você diz sim e essas pessoas te retribuem com outro sim. Foram diversas as vezes que eu fiz algo que não estava muito afim e gastei um dinheiro que ao menos poderia gastar para agradar alguém. É claro que isso é algo bastante complicado e que envolve mudança de comportamento, mas conforme me monitoro e aprendo a responder com um belo e simples não para as coisas que não são prioridades para mim naquele momento sinto uma sensação de libertação indescritível.

O que é preciso é primeiro atender as suas próprias necessidades, ninguém vai te julgar como egoísta se você disser não algumas vezes em que realmente essa for a palavra que deve ser dita, ou pelo menos não deveria. Existe uma frase que sempre repito para mim nesses momentos: “Diga não quando você quer dizer não, este pode ser o maior economizador de tempo da sua vida” essa frase é da Linda Lore, CEO da InJoy Global e como todos sabemos, tempo é dinheiro são itens que realmente não da para se desperdiçar em coisas que não valham a pena. Também há uma outra fantástica de autoria desconhecida e que pode mudar completamente esse seu pensamento “Não sou obrigada”.

Pois é, Manolito, provavelmente os retornos são bem baixos.

Quem deve ditar suas prioridades é você, lembre-se que quem sofrerá as consequências de cada escolha feita também será você. Então, tenha foco no seu objetivo e aprenda a desenvolver a habilidade mais importante da sua vida: o autoconhecimento. Quando você sabe quais são as suas preferências tudo fica mais simples. Para muitas pessoas é muito complicado deixar de comer em bons restaurantes ou de comprar roupas da moda, isso pode ser uma prioridade que elas não estão dispostas a mudar, mesmo que o objetivo seja maior e mais significativo. Mas quem define o tamanho da importância que cada coisa tem na sua vida é você.

De maneira alguma é necessário abrir totalmente mão de algo que é valioso para você, a ideia não é essa, mas você deve sim entender o impacto disso no seu orçamento e estar disposto a apertar os cintos em outras áreas para compensar uma que seja realmente importante para você. Ter autoconhecimento pode te mostrar como mudar alguns hábitos e desconstruir pensamentos. Aliás, para criar um hábito é sempre necessária muita disciplina e paciência, assim, você verá que aos poucos será algo que passará a ser automático.

Quando falo sobre planejamento com meus amigos a parte da conversa sobre objetivos é a mais longa. Muitos ainda não possuem um plano definido na cabeça, pois estão vivendo aquela velha máxima de um dia de cada vez, talvez essa falta de ambição seja algo natural para a geração millenium que cada vez mais demora em sair de casa e assumir o protagonismo das próprias vidas. Isso se deve em parte ao alto custo de vida que temos hoje e ao consumo desenfreado que acreditamos precisar.

Dar uma chacoalhada e falar sobre onde você quer estar não daqui a vinte anos, mas dentro de alguns meses pode fazer a pessoa acordar para a realidade. Falar de prazos mais longos irá provocar sonhos e deslumbramentos, mas de planos que exigem bem menos tempo, isso sim irá mostrar que para curar algum descontentamento presente você terá que se mexer. E não falo somente em relação às finanças, isso serve para tudo na vida, procrastinar em relação aos seus objetivos é o maior erro que você pode estar cometendo.

Voltando ao conselho do gato de Cheshire à Alice, é claro que você precisa ter metas claras para conquistar suas próprias coisas. Se eu sei o motivo pelo qual estou renunciando aos deliciosos pães de mel da padaria que fica no caminho para o meu trabalho todos os dias, fica muito mais simples abandonar esse hábito. Poupar esse pequeno valor diariamente pode me fazer juntar grana suficiente para comprar uma passagem para uma praia do nordeste no final do ano e ainda diminuir alguns centímetros da minha cintura.

Eu mais do que ninguém sei da dificuldade que é manter o autocontrole em decisões de escolha, aliás, segundo o psicólogo Roy Baumeister a nossa força de vontade está diretamente conectada a uma reserva limitada de energia mental e uma vez que essa fonte de energia se esgota, é bem mais provável que entre em cena o nosso autodescontrole. Esse é o conceito de depleção do ego, teoria estudada por Baumeister e que explica muita coisa sobre o nosso comportamento.

Sabe quando após uma semana firme de dieta você resolve pedir uma pizza? Ou voltando para o mundo das finanças, sabe quando após um mês acompanhando toda a rotina com uma planilha e evitando ao máximo a tentação de comprar um novo par de botas você se dá “ao luxo” de ir ao shopping gastar todo aquele dinheiro poupado? Afinal de contas, você merece, trabalhou duro o mês inteiro, não é mesmo? O nome disso é depleção do ego. Claro que você merece passear e comprar o que precisa, só não merece após tanto esforço se endividar por conta de besteira.

Ainda falando sobre psicologia, Freud há quase 100 anos também já alertava sobre como você estava fazendo péssimas escolhas na sua vida financeira. Segundo Freud nós somos movidos por três forças principais: o id, o superego e o ego. O id é o nosso princípio do prazer e está ligado aos nossos impulsos inatos, o superego é a nossa consciência moral, ele nos diz como devemos ser e o que devemos fazer e o ego é o mediador entre essas duas partes, é a nossa percepção de realidade.

Resumindo, é como se a gente tivesse um anjinho e um diabinho dialogando na nossa cabeça. Sempre quando você está frente a um impulso de consumir algo, por exemplo, a posição do id é te encorajar e justamente fazer afirmações que você deve comprar aquilo mesmo e as consequências que se explodam. Já o superego terá uma atitude contrária e te mostrará que não há necessidade de mais uma bota no armário, afinal de contas você já comprou uma no mês passado. O ego, por sua vez, fará a mediação deste conflito e tentará criar questões para inibir os seus impulsos: “eu realmente preciso disso?” “Será que não irei me endividar se comprar esse item?”.

Então, se você já identificou um bom objetivo daqueles que podem mudar a sua vida, um conselho que eu te dou é sonhar, imaginar como será depois de passar um tempo planejando, poupando e investindo o seu dinheiro, enfim realizar o seu plano. Pensou bem? Agora imagine que cumprindo um planejamento tudo isso será possível, é só sair da inércia e partir para a ação. Se estiver difícil no início seguir com o seu plano, persista e lembre-se que a disciplina é como um músculo que deve ser exercitado constantemente.

Se você estava esperando um sinal para enfim começar a desenhar e colocar em prática aquela vontade antiga de realizar um objetivo, aqui está ele. E não, não é qualquer caminho que vai te levar até lá.

Artigos que podem ser úteis: Contabilidade Mental: Como tomamos nossas decisões | Qual meu perfil de investidor?

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2019-02-05T20:48:23+00:00 julho 19th, 2018|Dicas de como poupar|0 Comments

About the Author:

Fernanda Fonseca
É formada em Economia com especialização em Finanças e pós graduada em Economia Comportamental. Curiosa por assuntos que envolvam o comportamento humano e decisões financeiras.

Leave A Comment