Como organizar o seu orçamento com a regra do 50-30-20

 


Se você sente dificuldades para organizar o seu orçamento, uma boa saída para você é usar a regra do 50-30-20. Por meio desse método, vai ser muito mais fácil conhecer e categorizar os seus gastos e manter a sua vida financeira organizada e em dia.

Existem diversas formas diferentes para organizar o seu orçamento e a regra do 50-30-20 é um modelo criativo e eficiente para cumprir esse objetivo.

Organizar o seu orçamento é mais do que apenas ter um planejamento para conseguir manter as suas contas em dia. Seu orçamento também deve elencar quais são as suas prioridades financeiras e demonstrar o quanto você gasta em cada categoria de despesas.

Para te ajudar na tarefa de organizar o seu orçamento, separamos no artigo de hoje as explicações que você precisa para aplicar a regra do 50-30-20. Para saber os detalhes, continue lendo os próximos tópicos.

Regra do 50-30-20 para organizar o seu orçamento

Como dissemos, organizar o seu orçamento é mais do que se manter organizado para não atrasar as suas contas. Um orçamento bem estruturado também define quais são as suas prioridades e determina quais são os seus gastos para cada uma das categorias de despesas.

Levando isso em consideração, usar a regra do 50-30-20 é uma forma de orientar o seu orçamento, aliando os seus gastos aos seus objetivos financeiros.

Para aplicar essa regra, não é necessário que você seja nenhum especialista em finanças, afinal de contas, esse é um método bem simples que, em conjunto com um aplicativo de controle financeiro, vai ajudar você a organizar o seu orçamento.

Basicamente, a regra 50-30-20 significa uma divisão das suas despesas em 3 categorias distintas, da seguinte forma:

  1. Necessidades

50% dos seus rendimentos devem ser reservados para o pagamento das despesas fixas relacionadas a sua sobrevivência, ou seja, para os seus gastos essenciais, tais como moradia, alimentação, transporte, água, luz e outros.

  1. Desejos pessoais

30% dos seus rendimentos devem ser reservados para pagar os seus gastos flexíveis, ou seja, aqueles itens que você adquire mas dos quais não tem uma necessidade direta.

  1. Poupança ou pagamento de dívidas

Por fim, os 20% restantes dos seus rendimentos devem ser reservados para que você atinja os seus objetivos financeiros, ou seja, para suas economias, investimentos ou para pagar as suas dívidas.

Essa regra para organizar o seu orçamento é bastante eficiente, uma vez que oferece diretrizes que, se seguidas da forma adequada podem ajudar você a alcançar a sua independência financeira.

Você deve ter em mente que os percentuais definidos para as suas necessidades e para seus desejos pessoais são um teto máximo, ou seja, representam o máximo que você deve gastar dos seus rendimentos em cada uma delas.

Entretanto, caso você deseje economizar mais do que os 20%, você pode utilizar o dinheiro reservado para outras áreas para que você consiga alcançar os seus objetivos financeiros.

A seguir, vamos falar com um pouco mais de detalhes sobre cada uma das categorias de gastos usadas na regra do 50-30-20.

NECESSIDADES E GASTOS ESSENCIAIS

De acordo com a regra do 50-30-20 para organizar o seu orçamento, metade da sua renda deve ser usada para cobrir as suas necessidades e os seus gastos essenciais.

 

Para que esse percentual faça sentido, é necessário que você considere todos os seus gastos nessa categoria.

Despesas essenciais podem ser definidas como aquelas que você não pode evitar, devendo pagá-las independentemente do local onde você mora, com o que você trabalha ou onde você pretende ir.

De forma geral, estão incluídas nessa categoria de gastos despesas com alimentação, moradia, transporte e outros serviços que você precisa usar.

Vale a pena mencionar que o valor desse tipo de despesa varia de acordo com o seu estilo de vida, entretanto, é importante ter em mente que o total não deve ultrapassar metade da sua renda.

Caso isso aconteça, isso significa que você está vivendo um padrão de vida que está fora das suas possibilidades, logo, é importante fazer alguns ajustes uma vez que é provável que você esteja adotando um estilo de vida que está fora da sua realidade financeira.

DESEJOS PESSOAIS

Nesta categoria você deve incluir os gastos que te deixam mais feliz, mas é importante ser cauteloso, já que essa costuma ser a categoria de gastos responsável pela sua falta de controle financeiro.

Esses gastos são os que podem causar o maior impacto nas suas finanças, entretanto, são aqueles que podem oferecer uma maior qualidade de vida para você.

Algumas pessoas podem considerar tais despesas como supérfluas e dispensáveis, porém, você deve ter em mente que elas são importantes na sua vida, já que todos precisamos de um pouco de lazer para nos sentirmos bem.

O mais importante é não gastar em excesso com produtos ou serviços de luxo que estejam fora da sua realidade financeira com intuito de apenas ostentar um status que você não tem.

Nessa categoria, podem ser incluídas despesas como planos de celular e de internet (se os mesmos não fizerem parte das suas ferramentas de trabalho), viagens, TV a cabo, restaurantes, cinema, etc.

No caso desses gastos, cortes simples ou adaptações poderão fazer uma grande diferença na hora de organizar o seu orçamento, manter as suas contas em dia e permitir que você economize dinheiro para alcançar os seus objetivos.

POUPANÇA E DÍVIDAS

Nessa categoria, deve ser reservada uma quantia em dinheiro que deverá ir para a sua poupança ou ser utilizado para o pagamento de suas dívidas, tais como: o financiamento do seu carro, as mensalidades da sua faculdade, empréstimos, entre outros.

Esse valor deve ser reservado assim que você pagar todas as suas despesas essenciais e antes de começar a gastar com os seus desejos pessoais.

De acordo com a regra do 50-30-20 para organizar o seu orçamento, essa é a categoria onde você pode ser mais flexível para mais. Sendo assim, você não deve poupar menos do que 20% da sua renda, mas, se puder, pode guardar mais do que isso, entre 25 e 30%.

Seguindo essa orientação, você vai conseguir quitar as suas dívidas mais rápidos e vai estar mais perto de  alcançar as suas metas e realizar os seus sonhos.

 

Como aplicar a regra 50-30-20 ao seu orçamento

A grande vantagem de usar a regra do 50-30-20 para organizar o seu orçamento é que você pode flexibilizar o método de acordo com a sua necessidade, cabendo a você escolher a forma como vai utilizá-lo.

Caso você tenha muitas dívidas em aberto, por exemplo, pode optar por dar prioridade ao pagamento das mesmas nesse momento e retirar uma parte do percentual reservado para as outras categorias para atingir esse objetivo.

Então, vamos a parte prática! Veja a seguir um passo a passo para a utilização da regra do 50-30-20 para organizar o seu orçamento:

  • Primeiro passo: calcular a sua renda depois de todos os descontos

Em primeiro lugar, descubra qual é a sua renda líquida mensal, ou seja, o valor que sobra do seu salário depois que você desconta todos os descontos, taxas bancárias, impostos, seguros, entre outros.

Se você trabalha de carteira assinada, basta conferir sua folha de pagamento e retirar esses valores. Se você é autônomo, subtraia da sua renda bruta os impostos e as despesas de sua empresa.

  • Segundo passo: limitar as necessidades a 50%

Agora você deverá revisar o seu orçamento, observando o quanto você tem gastado para suprir as suas necessidades.

Como dissemos, você não deve gastar mais do que a metade da sua renda para cobrir esse tipo de gasto.

Compreender o que é ou não uma necessidade ajuda bastante: gastos que afetam sua qualidade de vida severamente, como água, luz e medicamentos, são necessidades. Já gastos com itens que não sejam vitais, como uma roupa nova ou a tv a cabo, não o são.

  • Terceiro passo: limite a 30% os gastos pessoais

As suas necessidades foram rigorosamente definidas acima, assim, dentro dos seus gastos com desejos pessoais, você deve incluir itens como o seu plano de telefonia e internet, alguns cosméticos e até um celular novo.

Muitas vezes, você pretende comprar alguma coisa que à primeira vista parece uma necessidade, mas se você pensar um pouco sobre, vai perceber que se trata de um desejo.

  • Quarto passo: reserve 20% para poupança ou para pagar suas dívidas

Por fim, ao menos 20% da sua renda deve ser usado para quitar dívidas ou serem usados em investimentos para criar uma reserva financeira, para a sua aposentadoria ou para alcançar um objetivo.

No artigo de hoje você aprendeu a regra do 50-30-20 para organizar o seu orçamento, alinhando os seus gastos aos seus objetivos financeiros.

Se você gostou deste artigo e quer ver mais conteúdo como esse, continue acompanhando as nossas publicações e confira também os nossos artigos anteriores no arquivo aqui do blog.

Aqui no Renda Fixa você encontra as melhores dicas para aprender a lidar com as suas finanças, mantendo o seu orçamento organizado, suas contas em dia e poupando dinheiro, além de orientações valiosas para escolher as melhores alternativas de investimentos de acordo com os seus objetivos.

Tem alguma dúvida ou quer fazer uma sugestão? Deixe o seu comentário aqui embaixo!

Artigos que podem ser úteis para você: Como fazer aportes mensais para investir? | TED e DOC: Você sabe quanto paga?

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2019-08-07T15:12:38+00:00 abril 2nd, 2019|Investimentos|0 Comments

Leave A Comment