Dicas para que os problemas financeiros não acabem com o seu casamento

É comum uma família enfrentar problemas financeiros ao longo da vida, principalmente em momentos de crise e instabilidade econômica, como os que o país enfrenta neste período. Entretanto, em alguns casos, esses problemas na vida financeira podem afetar também a vida afetiva do casal.

Problemas de ordem financeira podem acabar causando brigas, desentendimentos, estresse e até o rompimento do casal.

Paciência, organização e diálogo são muito importantes nesse momento para que o casal possa enfrentar a crise financeira da família, sem que isso prejudique a harmonia entre eles. Pode parecer complicado, mas é possível sair do vermelho e manter o casamento.

Para ajudar, confira nesse artigo algumas dicas para evitar que os problemas financeiros acabem destruindo o seu casamento. Confira.

O diálogo é a arma fundamental para definir as prioridades financeiras da família.

Quando os problemas financeiros se apresentam, a tensão e o estresse podem tomar conta da casa e o diálogo pode ficar difícil, mas ele é a arma mais poderosa para superar esse momento ruim.

Em momentos de crise, sentar e conversar sobre o que está acontecendo e realizar um bom planejamento financeiro do grupo familiar vai fazer toda a diferença.

É difícil manter o relacionamento de forma tranquila, se o casal possui objetivos muito diferentes um do outro, dessa forma, é ideal que ambos tenham expectativas e objetivos alinhados entre si sobre a melhor forma de solucionar os problemas financeiros.

O primeiro passo, é definir os gastos mensais, mas não apenas essa questão é importante. É necessário que, de forma conjunta, o casal consiga definir o padrão de vida da família, equilibrando as despesas e as receitas da casa.

Para definir as prioridades, estratégias para solucionar os problemas e estruturar as finanças, o diálogo é a chave fundamental.

Também é necessário que o casal tenha uma reserva financeira que será utilizada para cobrir despesas de emergência, pois dessa forma, no futuro o padrão de vida do grupo familiar poderá ser mantido caso eventualmente uma das duas partes fique desempregada ou adoeça.

O casal deve aproveitar as oportunidades do mercado e começar a fazer investimentos.

Outra forma de enfrentar problemas financeiros sem que isso afete o casamento é investindo dinheiro para aumentar a renda do grupo familiar.

Em períodos de crise, como a que o país enfrenta, é preciso encarar as finanças com atenção e cuidado, entretanto, é possível encontrar diversas oportunidades de ganhos financeiros nesses momentos.

No mercado brasileiro, os juros em alta podem favorecer uma série de investimentos em renda fixa, que são uma oportunidade valiosa para investidores que querem aplicações que possam oferecer uma rentabilidade alta com um certo grau de segurança.

O ideal é ter coragem para enfrentar os problemas financeiros, arriscando sair da zona de conforto, com cautela e ousadia na medida certa.

Em nosso país, a maioria das pessoas acaba por não aproveitar as chances de realizar investimentos por não ter coragem de arriscar a abandonar aquelas alternativas que são consideradas como mais tradicionais para buscar investimentos diferentes e que muitas vezes, vão oferecer mais rentabilidade.

Um exemplo dessa situação é o fato de que a maioria das pessoas ainda mantém o dinheiro aplicado nas cadernetas de poupança para se resguardar de problemas financeiros, quando poderiam estar aproveitando outros tipos de investimentos mais interessantes.

Investimentos em renda fixa como o Tesouro Direto, os fundos de investimento e as letras de crédito, por exemplo, podem oferecer uma rentabilidade muito maior que a das cadernetas de poupança, e são aplicações tão seguras quanto ela.

Eduque as crianças financeiramente também

Dicas para que os problemas financeiros não acabem com o seu casamento

Outra dica para evitar que os problemas financeiros acabem prejudicando o seu casamento, é investir na educação financeira das crianças da família desde cedo também.

As pessoas que são adultas nos dias de hoje, passaram por situações em relação às finanças que são bastante diversas da que passamos atualmente, em um passado que nem está tão longe assim.

Grande parte dos adultos de hoje, durante as décadas de 1980 e 1990, enfrentou um período de hiperinflação no país, onde consumir de forma rápida era importante, já que a moeda se desvalorizava de uma hora para a outra.

Quem era criança ou adolescente nesse período de graves problemas financeiros, deve se lembrar de ver os pais preocupados com o abastecimento, já que ver os supermercados com as gôndolas vazias era bastante comum e alternativas para quem queria investir, eram quase inexistentes.

No momento atual, a economia nacional melhorou bastante, e, ainda que estejamos passando por crises e instabilidade financeira, os problemas financeiros de hoje são bem menos graves do que eram naquela época.

Entretanto, mesmo que a economia tenha melhorado, ainda é possível ver muita gente mantendo o mesmo padrão da época da hiperinflação, consumindo de forma rápida e com pouco ou nenhum planejamento.

Além disso, mesmo que hoje existam muitas oportunidades para os pequenos investidores, a maioria das pessoas não consegue aproveita-las como deveria.

Se antigamente, educar financeiramente as crianças era quase impossível, hoje em dia, mais do que possível, isso é necessário e muito mais fácil que era antigamente.

No momento atual, é possível contar com as mais diversas ferramentas para lidar com dinheiro, além de ser possível encontrar disponíveis diversas fontes de conteúdo sobre educação financeira, sendo muitas delas gratuitas inclusive, através da internet.

Aliás, na internet, é possível buscar e encontrar muito conhecimento para enfrentar e superar os problemas financeiros.

É fundamental, portanto, que os pais percebam essa mudança na realidade e comecem a investir desde cedo na educação financeira de seus filhos, não somente em seus discursos, mas especialmente no exemplo que demonstram para as crianças dentro de casa.

Consumo consciente, utilização de crédito responsável e aproveitar as boas oportunidades de investimento são formas não apenas de evitar os problemas financeiros, mas também de mostrar para as crianças as melhores formas de lidar com o dinheiro para que elas cresçam como adultos financeiramente responsáveis e autônomos.

Joguem juntos, no mesmo time

Outra forma de impedir que os problemas financeiros acabem afetando a vida afetiva do casal é que ambos consigam enfrentar uma crise nas finanças para aumentarem o seu vínculo afetivo e não para acabarem se afastando emocionalmente.

Para isso, é necessário que o casal seja capaz de agir na vida financeira jogando no mesmo time, conversando com o objetivo de superar os problemas financeiros e andar para a frente buscando as soluções e não apenas martelando sobre as dificuldades com pessimismo.

É necessário também evitar situações onde haja uma quebra de confiança seguida de perda financeira, como quando, por exemplo, uma das partes gasta o dinheiro da família sem ao menos consultar o outro para saber se ele está de acordo.

Em situações como essas, a parte que se sente traída tende a ficar com o pé atrás, o que pode afetar negativamente a relação de maneira grave.

Entretanto, uma relação pautada no diálogo e na transparência pode evitar que os problemas financeiros acabem destruindo a relação.

Controle das emoções

Dicas para que os problemas financeiros não acabem com o seu casamento

O controle das emoções é outra dica para evitar que os problemas financeiros afetem negativamente o seu casamento.

Se a família está enfrentando uma crise financeira, vai ser necessário traçar estratégias para reduzir os gastos e pagar as dívidas e perder privilégios e regalias com as quais a família já havia se acostumado vai acontecer, o que pode abalar o emocional de qualquer pessoa.

Perder status e ver o padrão de vida anterior cair também acaba desestabilizando as pessoas, causando uma sensação de vazio e de desfalque, mesmo sabendo que enfrentar alguns sacrifícios vai ser necessário para reestruturar as finanças da família.

Entretanto, é possível e necessário manter a calma, afinal, a situação é transitória e é semelhante a uma dieta: com o passar do tempo e quando começar a ver os resultados positivos, o casal vai perceber que fica tudo mais fácil e as mudanças e adaptações passam a ser incorporadas a rotina e ao dia a dia da família.

O mais importante nesse momento é enfrentar a situação com coragem e determinação para solucionar os problemas e se manter firme ao cortar os gastos.

Ter em mente que essa é uma situação transitória e que tem o objetivo claro de reestabelecer a vida financeira da família é importante, porque dessa forma, é possível atravessar esse período de maneira mais serena e com mais união entre os membros da família.

É importante não perder a cabeça e se deixar dominar pelas emoções uma vez que com calma e racionalidade é a melhor maneira de evitar que os problemas de ordem financeira desestruturem a família e acabem destruindo o seu casamento.

No artigo de hoje você conferiu algumas dicas valiosas para que os problemas financeiros não acabem com o seu casamento, destruindo a harmonia familiar. Com essas dicas, é possível enfrentar uma eventual crise nas finanças sem desencadear um divórcio.

Se você gostou dessas dicas e quer conferir mais conteúdo com dicas para melhorar a sua vida financeira, continue acompanhando os nossos artigos e confira também as publicações anteriores aqui do blog.

Artigos que podem ser úteis para você: Orçamento Familiar: Método ABCD | Como Montar uma Reserva de Emergência 

Compartilhe esse artigo com seus amigos! ;)
By | 2019-02-05T22:12:18+00:00 setembro 24th, 2018|Finanças|0 Comments

About the Author:

App Renda Fixa
É possível através do aplicativo Renda Fixa comparar, pesquisar vários tipos de investimentos reais por valor, período de vencimentos, tipos de investimentos e corretoras, podendo ser ordenados em sua pesquisa por taxa, vencimento, tipos de investimentos e corretoras. Baixe o app Renda Fixa. :)

Leave A Comment